sábado, 2 de fevereiro de 2008

Palhaço



O Carnaval perdeu a cor.
Os palhaços já não riem
E na sua face vemos dor.

O vermelho esbateu-se
Na sua cara branca.
O sorriso perdeu-se...
Nem um pingo de esperança!

As crianças não querem saber
Do palhaço, pobre coitado
A forma como ele andava a viver
Não é mais presente, é passado!

Vive agora a chorar
O palhaço que outrora sorria
E numa de não se magoar
Mostra agora o que escondia!

Escondeu sempre a tristeza
Atrás daquele sorriso rasgado.
Mostrando simplesmente beleza
Fazia rir o público enganado.

As crianças, ao trocar
O palhaço por jogos actuais
Não podiam imaginar
Que esses trocadilhos eram fatais!

Está o palhaço sozinho agora
Sentado na berma da ponte
Pensando se é a Hora
Ou se se põe amonte.

Ponderou a decisão
Por se sentir trocado
E parando o coração
Ficou o palhaço acabado!


[Soube-me bem voltar à "poesia"...!]

1 comentário:

Ekaterina disse...

Eu adoro : ) Este está engraçado !