sábado, 2 de fevereiro de 2008

Devaneios...outra vez!

Escrevo para não ter de pensar. Nas palavras que ordeiramente crio, pinto um turbilhão de sensações.
A ponta dos dedos está gasta, como as palavras que ainda tenho para dizer. Cantam as teclas em que carrego. Tic Tic Tic. Umas vezes mais rápido. Outras nem tanto...mais devagar.
Paro por momentos para pensar "que vou escrever?". Então as mãos começam a dançar por cima do teclado cinza-sem-cor e as palavras vão surgindo. Com elas os pensamentos que tenho são expressos.
Escrevo o que vivo e o que sinto. Escrevo para quem de mim faz parte. Escrevo para quem não me conhece. Escrevo só para mim.
Num zig-zag constante os meus olhos lêem todas as frases. Na diagonal não. Não teria sentido! Lêem letra a letra, palavra a palavra. Retiram a essência do que escrevo.
Cada olhar é diferente. Cada perspectiva é pessoal.
Mas o que eu escrevo...ai! As letras que ponho a brincar no ecrã são só isso...mães de palavras que em devaneios (in)conscientes crio!

Sem comentários: