terça-feira, 2 de setembro de 2008

És feliz?

Rodeada de Praga por onde quer que olhasse, pus-me a pensar "Sou feliz?".
Por mais voltas que desse à minha memória a resposta parecia estar envolta de uma tal mística que só o desejo de perguntar a outros superou a grandiosidade da confusão que eu própria gerei.
-Amor, és feliz?
(Silêncio)
E, um tanto ou quanto protegido pela sua própria maneira de ver a vida, respondeu-me de forma a que eu me pusesse mais uma vez a pensar.
Antes...era. Agora? Já não sou. "Tem dias!", respondeu alguém a esta questão que tomei como sendo a do dia. E a verdade é mesmo essa...tem dias.
A culpa não será propriamente nossa mas, de certa forma, acaba por ser fruto do tempo que passa por nós e que nós teimamos (e teimaremos sempre) em não aproveitar.
Já vivemos demasiado tempo a pensar no quão fomos felizes em épocas sem preocupações...aos 5/6 anos...quando terminamos a fase pré-escolar e a única coisa que sabemos fazer é VIVER UM DIA DE CADA VEZ.
Sinto-me a envelhecer a cada dia que passa. E se com quase 19 me sinto assim, tenho medo do que poderei vir a sentir com 40 ou 50 anos (se lá chegar!). Todos os anos, e cada vez que me lembro que prometi isto a mim mesma, tomo a decisão de VIVER UM DIA DE CADA VEZ. Sem pressas. Sem preocupações. Mas, infelizmente, a idade e a vida que fui criando já não me proporcionam essa filosofia. Tento entretanto adaptar-me às situações e aprender com o que se passa à minha volta e comigo mesma...
Mas tem sido deveras complicado manter-me calma e feliz.

Sem comentários: