quinta-feira, 13 de março de 2008

O que é ser namorado de alguém?

A paixão diminui à medida que o tempo de namoro aumenta. É um facto.
Aquelas borboletinhas na barriga que nos faziam corar...aqueles momentos em que ficávamos sem jeito só pelo simples facto de em nós cair um olhar da pessoa a quem nos queriamos entregar.
Dávamos o que tinhamos. O que não tinhamos. O que podiamos e não podiamos. Dávamos! Recebiamos!
"Queres namorar comigo?"
"Sim"
Boa! Conseguimos. Meta atingida. Pura excitação!
Esperávamos tanto tempo por aquele momento...O Clímax da cena foi atingido!
Depois vivíamos num mundo colorido.

Mas com o tempo as coisas escurecem. Não que percam a cor, mas aquele amarelo vivo de sol, aquele verde alface, aquele rosa choque...puff! Esbatem!


Perdemos, muitas vezes, a noção do que é ser namorado. Amado, não. Porque continuamos a amar. Talvez não com a mesma intensidade, depende. De certo de maneira diferente. Não digo nem mais nem menos. De maneira diferente.
A paixão morreu. A chama ainda continua acesa, mas mais branda que nunca.
Tentamos atiçá-la mas faltam-nos as acendalhas.
Vamos desmoralizando e deixando que haja fumo sem fogo.


Então perguntamos...o que é ser namorado?
Sabem? Expliquem-me.


Outrora parecia tão nítida a diferença entre amigo e namorado. Mas e agora?


Diz-se: A condição básica para ser namorado é estar apaixonado. (falha logo aí. Onde está a paixão?)

Aquela condição em que ficamos tolos a fazer coisas tolas, mas muito felizes.

É sair de mãos dadas com o nosso amor, apanhar chuva e estragar os sapatos novos, mas não nos importarmos porque estamos com aquela pessoa do nosso lado.

É emaranhar os dedos no cabelo um do outro.

É rebolar na relva.

É colar pastilha elástica um no outro, emporcalharmo-nos todos na lama.

É brincar às lutas e às escondidas.

É olharmo-nos, seja propositado ou não.

É beijá-lo e de todas as vezes descobrir um novo sabor, uma nova sensação, embora com a certeza de que o conheceríamos entre muitas bocas.

É percorrer o corpo dele, brincar com os sinais, borbulhas e pêlos longos, descobrir coisas que nem ele sabia que tinha.

É sentir a voz dele, o cheiro, o sorriso e o olhar a km de distância, mesmo que seja em pensamento.

É convidá-lo para passear e perdermo-nos no tempo.

É rirmo-nos disso.

É implorar que o telefone toque e seja ele.

É não consguir desligar a chamada dele.

É desconcentrarmo-nos no trabalho e guardar aquela lembrancinha que nos faz lembrar dele.

É ficar chateada quando ele demora mais tempo do que planeámos.

É refilar com ele por isso.

É ouvi-lo dizer que não teve culpa.

É admitirmos que não teve mesmo e nós é que queremos sempre que chegue a hora de estarmos juntos.

É pedir desculpa e abraçarmo-nos no nada.

É ir tipo sardinha em lata no autocarro mas sempre com um sorriso por nos lembrarmos dele.

É receber mensagens obscenas dele e matarmos a nossa melhor amiga de inveja deixando-a só ler a primeira frase.

É fazer-lhe surpresas agradáveis.

É pensar o dia inteiro o que é que ele esteve a fazer.

É receber "amt" num prim prim de telemóvel.

É gastar os 1500 sms grátis com ele.

É ter ciúmes.

É odiar mortalmente aquela rapariga com quem ele teve alguma coisa ou lhe arrastou a asa, mesmo antes de nós o conhecermos.

É ver os sacrifícios que ele faz e os estratagemas que ele inventa só para poder estar um pouqinho mais connosco.

É comemorar o dia dos namorados, seja de que maneira for.

É fazer de todos os dias o dia dos namorados.

É termos uma música romântica nossa.

É olharmo-nos intensamente com desejo de pertença um para o outro, ao som da música.

É olhar para ele e lembrarmo-nos do edredom que nos aquece em noites frias.


É escrever este tipo de coisas, mesmo estando a chama mais branda. Porque "o amor existe" e está lá!

10 comentários:

Anónimo disse...

MUITO BOM "

Anónimo disse...

o meu blog é :http://ekaterinamalginova.bolgspot.com

Beijinha disse...

A D O R E I xaninha :D
cada palavra sabe o que diz....

Ekaterina disse...

Realmente ,por acaso nao gostas de poesia ?

Anónimo disse...

"É odiar mortalmente aquela rapariga com quem ele teve alguma coisa ou lhe arrastou a asa, mesmo antes de nós o conhecermos."

adorei esta menina xana.
beijinho
rita

Anónimo disse...

Olá!Estou com saudades de ver no teu blog um novo texto! SB

AnaFilipaSilva disse...

Perfeito!

rita disse...

o que é não ter namorado?

Manteiga disse...

Eu não acredito, sempre te elogiei as capacidades de escrita, mas agora, mais que nunca estás de parabéns!
É tão bom quando alguém consegue escrever exactamente o que sentimos!
Beijinho grande, "mais que tudo" *

Humana disse...

Estava a ler o teu texto e a pensar no quão verdadeiro e real ele é. A paixão é a sensação, é o impulso, é a loucura. O amor é a estabilidade, o desejo pacífico e o sentimento maduro:)