quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Carta ao Menino Jesus

Menino Jesus,

não sei onde tens estado nas últimas semanas mas espero que não te tenhas esquecido de mim.
Escrevo-te agora, porque as lágrimas que me escorrem pela face já sabem o caminho de cor e salteado até cairem na camisola.
A impessoalidade hoje reinou. Há pouco, digo melhor. "Alexandra" crua e friamente saído da boca de quem as únicas palavras que proferiu foram de 'expulsão'.
"Ficamos assim?" "Sim, ficamos." - assim se resignou com a distância sentimental entre nós.
Os sentimentos vão cada vez mais ficando enevoados no meio de tanta dor que se lhes sobrepõe.
Venho assim pedir-te auxílio nesta caminhada que só agora começou. "Haverão grandes rupturas na sua vida" dizia o horóscopo deste ano. Mas acredito que tu não me vais abandonar. Estou certa Menino Jesus?
O amor dói demais...esforçamo-nos por manter aquilo a que durante anos chamámos de "relação" e de um dia para o outro, tudo se esvai em incertezas. A única certeza é só mesmo a dor de sentir a perda de quem amamos.
Ainda nada está perdido, mas eu sinto-o...mudou! E mudou de tal forma que eu não aguento este barco sozinha. Não sou de desistir...não me vejo a saltar borda fora e ouvir gritar "mulher ao mar, mulher ao mar!". Afinal de contas, o Capitão morre com o seu barco.
Menino Jesus...ajuda-me a acalmar as águas para que eu possa naufragar já nas areias quentes do paraíso.

Desta tua, não de sempre mas para sempre, amiga,

Alexandra Bigotte de Almeida

1 comentário:

Beijinha disse...

O que é verdadeiro, sincero e genuíno permanece intacto...é intemporal.. e acaba por se manter, no final de contas, com a mesma forca desde o primeiro dia. Ainda que tenhamos que aprender a lidar com as adversidades que a vida impoe.. nao baixes os bracos... luta...!
Forca Xana..!