sábado, 5 de janeiro de 2008

Muda, calada, confusa e baralhada

Entro muda e saio calada da grande Capital chamada Lisboa. Os nervos e o medo percorrem tudo o que posso chamar de MEU. É aquilo que não conheço, é aquilo que não vivi...é a confusão, é a asáfama e a pressa. É o metro onde não sei andar. É a confiança que finjo sentir. É o pânico de presença dum labirinto sem saída onde eu me baralho cada vez mais.
É sempre assim. Ao tocar do telemóvel finjo que não é nada comigo, que nem se quer o tenho e que tenho pena de quem o deixa tocar em público. Um horror percorre a minha cabeça e dá voltas sem parar...medo de ser assaltada, medo de tudo. Medo de nada. Medo de nada quando chego ao destino. Onde a magia acontece...onde os meus sonhos estão ali. À mão de semear!
Nunca estive tão perto de concretizar os meus sonhos. Nunca estive tão perto de desistir deles. Porquê?! Porque não sou mais aquela menina que queria muito e deixava tudo por aquilo. O tempo mudou...as coisas mudaram. Os sentimentos também.
Agora, mais do que uma tradição académica antes imaginada, há algo mais que me prende aqui, a Coimbra.
18 anos. Uma vida! Há muito mais para viver? Para fazer? Sim, há.
Agarro-me a ti como se fosse a última vez. O último abraço. O último beijo. Não sei o dia de amanhã. Mas sei que tudo está a andar depressa demais. BOLAS! Não foi assim que eu sonhei! Os meus sonhos estão a rir-se para mim e dizem-me "agarra-me agora. ou esquece-me para sempre". Que faço? Pra onde vou? Parada? Não. Parada não posso ficar. O tempo anda. O tempo corre. O tempo foge. Os sonhos também. Os projectos de vida alteram-se. Que hei-de fazer? Tantas perguntas tão poucas respostas.
LUTA! NÃO DEISTAS! SEGUE OS TEUS SONHOS!
Têm sido estas as palavras ao longo destes últimos anos de quem me apoia. De quem está sempre lá. De quem está sempre aqui <3 .
Mas...e agora? Amor de um lado. Sonhos do outro. Familia do lado do amor. Pesa mais, certo? E a minha vontade tende para os sonhos...há um equilíbrio nesta balança. "Quem me leva os meus fantasmas?". Quem me dá a mão e ajuda a decidir. EU. Tenho de ser eu. Um dia de cada vez. E amanhã...amanhã é mais um dia. Segunda feira...ai! Aí logo se vê no que dá.
Não. Não é que troque o teu amor por um sonho. Posso tanto ter os dois. Vai ser dificil, eu sei. Mas bolas! E VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE. Não é assim que as histórias acabam? Será pedir muito a minha ser assim também?
Sinto-me encurralada entre Lisboa e Coimbra. Entre ti e mim. Mas o MIM também és TU. Somos NÓS. E eu AMO-TE. E eu quero que tudo resulte. Os meus sonhos. Os teus. O NÓS!


Palavras não exprimem a confusão. Palavras são poucas. Depois há o curso...adoro! Depois há o sonho. Adoro! E depois voltas tu...que estás sempre presente. E volto eu...confusa.
Não há nada que eu possa fazer mais por hoje. Segunda e Terça logo se vê. Até pode ser que não seja preciso nada disto. O alcance dos meus sonhos podem ser ilusão.
A verdade é que se abriu uma porta. Há opções na vida. E esta? Esta é a mais dificil de todas.
Entro muda e saio mesmo calada!

2 comentários:

sara disse...

Adoro ler o teu blog!Gostava k escrevesses mais vezes!Tens uma excelente capacidade para escrever e colocares ideias num texto!

Nini disse...

Lisboa é fácil! Decidir é que nunca o foi :S Mas sim, se não o fizermos por nós ninguém o fará!

Boa Sorte :D