quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Adeus

Se por sentir julguei que as minhas asas se quebravam, sentindo de facto a dor de as perder caí redonda no chão.
As lágrimas turvaram-me a visão e fiquei cega ao vê-lo partir.
Tão e somente o "nunca mais" batia forte na cabeça.
Os gritos mudos ensurdeceram-me e o cheiro dele foi-se perdendo no ar.
O que outrora para mim era o mundo, não. O que outrora para mim era tudo. É isso, o que outrora para mim era tudo esbateu-se na certeza de que a perda seria fatal.
Não controlamos o destino, mas lutamos contra o desagrado que nele vemos. Lutamos até não termos mais força para tal. E ao esgotarmos essas forças, só temos uma hipótese...aceitar o adeus.

6 comentários:

Babá disse...

"For what it’s worth: it’s never too late or, in my case, too early to be whoever you want to be. There’s no time limit, stop whenever you want. You can change or stay the same, there are no rules to this thing. We can make the best or the worst of it. I hope you make the best of it. And I hope you see things that startle you. I hope you feel things you never felt before. I hope you meet people with a different point of view. I hope you live a life you’re proud of. If you find that you’re not, I hope you have the strength to start all over again. "

Ana disse...

Nem tudo o que se diz é verdade! Nem todo o amor é amor mesmo! Nem todo o odio é odio mesmo! Nem toda a felicidade é felicidade mesmo! Nem tudo o que parece é e nao tens que te esforçar para que seja! quase te posso dar 100% de certezas que o tanto que tens hoje amanha é quase nada comparado com o que ainda há a ter!

Babá disse...

Estou contigo, sempre. Mesmo estando longe e não sabendo "muito dessa tua vida", podes contar sempre sempre comigo!
Força =) *

real republica disse...

adeus!...o lenço branco da partida...disse-te adeus...e minh'alma ficou perdida!...e...para ti...

"Só, incessante, um som de flauta chora..."

patty disse...

como me revejo nessas tuas palavras... e como nao queria rever-me nelas...

João Afonso Adamastor disse...

"Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos."(P.Neruda)

A vida ensina aos homens que nem tudo acontece por um motivo, mas há motivos que mudam as nossas vidas.

Estejamos sempre vivos, então!

:D