quinta-feira, 18 de outubro de 2007

O prometido é devido!

Senti uma vontade imensa de fugir para sítio incerto, de me encontrar comigo mesma. De reflectir sobre isto a que todos chamam de "vida". Senti vontade e necessidade.
Quero viver mais, quero esticar a corda sem a quebrar..quero ser tudo no meio de um nada repleto de coisas especiais.
Hoje senti-me particularmente forte. Respirei fundo e, como se batesse com os sapatinhos de verniz vermelhos, voei dali para fora. Apeteceu-me gritar, dançar, aparvalhar por tudo e por nada. Apeteceu-me apetecer tudo do mais esquisito que há e não há.
Apeteceu-me mandar pasta e cadernos ao ar e correr feita louca sem destino. Sem medo do final da estrada, do precipício. Cair? Caímos todos os dias em falsas superstições!
Hoje quis ser mais e melhor. Hoje quis, de facto, viver intensamente o dia de sol de verão.
Ao tempo que não sentia os raios ofuscarem-me a vista, o calor afoguear os meus braços. Faltou-me verão do meu país este ano. Hoje, mais do que ontem, apeteceu-me VIVER!
O tempo escasseia e eu sinto-me cada vez mais apertada na concretização de sonhos, ideias e objectivos. Estou acorrentada ao moralmente correcto. Qualquer dia fujo. Qualquer dia fujo e vou ser livre...prometo!
Amanhã, quem sabe? Largo as obrigações por um dia e vou viver. Afinal, só me faltam 23 dias de pura inocência...só me deram mais 23 dias com o rótulo "criança"! Prometo que um dia destes 23 faço isso!

3 comentários:

Suh disse...

Há dias em que nos sentimos particular mente felizes para VIVER, mas quando damos por nós estamos "acorrentados", tal como dizes...feliz ou infelizmente também já tive alguns dias desses, poucos, muito poucos, mas tive...e em que sinto esse receio de nao aproveitar o que de bom a vida me dá. Posso fugir ctg?? :P

Anónimo disse...

:X sem palavras
tens um jeito pa coisa danado!!

Qualquer dia fujo. Qualquer dia fujo e vou ser livre...prometo!

sim.. foge.. porque quando voltares.. o que te fazia sentir 'moralmente acorrentada'... já vai ter outro significado e já não te vai acorrentar mas, talvez, libertar?

Patty disse...

AMEI...!